Preço do botijão de gás vai aumentar em 15% nas refinarias a partir desta terça-feira

Anúncio foi feito pela Sindigás a partir de comunicado feito pela Petrobras. É o primeiro reajuste em treze anos
Cozinhar, fritar o650x375_botijao-de-gas_1556879u assar vai ficar mais caro a partir desta terça-feira, 1º, para milhares de donas de casa de todo o Brasil. Tudo por conta do aumento 15% no preço do gás  de cozinha, vendido em botijões de 13 quilos, segundo o Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de petróleo (Sindigás). A alta para os consumidores será de R$ 6,90 por botijão, passando dos atuais R$ 46 para R$ 52,90

Após 13 anos sem reajustes de preços, a Petrobras resolveu aumentar o GLP (gás de botijão) a partir desta terça-feira. Na segunda-feira, a estatal comunicou às distribuidoras que aumentou em 15% o preço do produto vendido em suas refinarias.

de acordo com estimativas do mercado, a expectativa é que esse reajuste seja repassado integralmente ao consumidor. Com isso, o IPCA, índice de inflação que baliza as metas do governo, deve subir 0,16 ponto percentual numa taxa esperada de 9,29% este ano.

No caso do INPC, que capta os efeitos da inflação em lares de menor renda, o reflexo será maior, de 0,26 ponto percentual. O aumento do gás vai anular a redução na conta de luz, de aproximadamente 2%, que virá com o corte de 18% na bandeira vermelha incluída na conta.

Atualmente, são vendidos 35 milhões de botijões por mês no Brasil por meio de 21 distribuidoras. O aumento no preço do GLP ocorre quando vem caindo a cotação do petróleo no mercado internacional.

Como o último reajuste ocorreu em dezembro de 2002, a Petrobras ficou com defasagem média de 40% nos últimos anos com a venda do produto, segundo o Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE). Só em julho deste ano, o GLP estava sendo vendido no país 17% mais barato em relação ao mercado internacional.

Moura dá dica para os consumidores economizarem. “Diante desse reajuste, os consumidores devem aproveitar a ampla concorrência para conseguir descontos na hora da compra. Vale a pena a boa e velha cotação antes de comprar”, sugere.

E desconto virou a palavra de ordem para milhares de consumidores, como Dulcimaria Barbosa, que com o aumento do gás utilizará menos o fogão para esquentar os alimentos e dará vez ao micro-ondas na hora de deixar o rango quentinho.

“Com esse aumentou vou deixar de esquentar comida no fogão e usar o micro-ondas. É mais rápido e economiza mais, pois não precisa esperar a panela esquentar” garante Dulcimaria.

Para economizar vale tudo, de pechincha com vendedor a compra de vales gás, que são mais baratos.

Evite micro-ondas

Mesmo com o reajuste, o economista Carlos Cardoso, da agência Azimut, afirma que o produto ainda é a melhor opção para a dona de casa.

“Apesar do aumento, o gás ainda continua sendo a melhor opção. Diferente da gasolina, que podemos substituir pelo álcool em carros flex e da carne que podemos trocar pelo frango, o gás não tem substituto à altura. Se optar pelo forno elétrico e micro-ondas, o consumidor irá gastar mais, pois o reajuste na energia é maior do que o gás. Podemos comparar esse aumento a utilização do chuveiro elétrico e a gás, quem tem em casa sabe que a diferença de um gasto do chuveiro a gás para um  elétrico é gritante. O jeito será economizar na utilização para adequar o orçamento”, disse Cardoso.
Por: por Bruno Rosa / Ramona Ordoñez / Atualizado

 

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas