‘É só assaltar e matar judeus’: Jornalista da Jovem Pan, José Carlos Bernardi

‘É só assaltar e matar judeus’, disse Jornalista da Jovem Pan, José Carlos Bernardi. Um dia após a fala, o jornalista José Carlos Bernardi foi exonerado do gabinete do deputado Campos Machado (PTB), na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), onde ocupava um cargo comissionado.

José Carlos Bernardi

José Carlos Bernardi

Na íntegra, o que disse  José Carlos Bernardi: “É só assaltar todos os judeus que a gente consegue chegar lá. Se a gente matar um monte de judeus e se apropriar do poder econômico deles, o Brasil enriquece. Foi o que aconteceu com a Alemanha pós-guerra”, afirmou Bernardi.

As declarações do jornalista do recém-criado canal de notícias foram repudiadas por organizações judaicas, que classificaram fala como ‘antissemita’ e ‘burra’

O comentarista da Jovem Pan José Carlos Bernardi associou o sucesso econômico da Alemanha ao Holocausto, que matou cerca de seis milhões de judeus durante o regime nazista. O comentário foi feito durante uma discussão com a jornalista Amanda Klein no “Jornal da Manhã”, da Jovem Pan News, nessa terça-feira (16).

“Quem dera o Brasil chegar aos pés do desenvolvimento da Alemanha”, disse Klein no debate. Bernardi, então, respondeu dizendo que os alemães ficaram ricos por matar e assaltar judeus após a Segunda Guerra Mundial.

Um dia após a fala, o jornalista José Carlos Bernardi foi exonerado do gabinete do deputado Campos Machado (PTB), na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), onde ocupava um cargo comissionado.

Em nota, Campos Machado manifestou repúdio ao comentário que classificou como “infeliz” e disse que não poderia continuar com os serviços do jornalista tendo em vista o seu “excelente relacionamento com a comunidade” judaica e a “amizade pessoal” com inúmeros judeus.

“Portanto, quero informar que, hoje mesmo, em comum acordo com o profissional José Carlos Bernardi, decidimos que não havia mais condições dele permanecer em meu gabinete, me restando determinar, de imediato, hoje mesmo, as devidas providências para a sua imediata exoneração do cargo que ocupava.”

Também nesta quarta-feira, a promotora de Justiça Maria Fernanda Balsalobre Pinto, do Ministério Público de São Paulo, instaurou um procedimento para apurar eventual cometimento de crime de ódio por intermédio de meios de comunicação, caracterizando antissemitismo, pelo comentário feito por Bernardi no Jornal da Manhã.

Repúdio

O comentário recebeu críticas por parte dos integrantes da comunidade judaica, que classificaram a declaração como antissemita. O grupo Judeus pela Democracia disse que a fala se apoia no mito antissemita da riqueza dos judeus e ignora totalmente os diversos fatores econômicos que alçaram a Alemanha ao patamar de desenvolvimento atual.

“É só assaltar todos os judeus que a gente consegue chegar lá. Se a gente matar um monte de judeus e se apropriar do poder econômico deles, o Brasil enriquece. Foi o que aconteceu com a Alemanha pós-guerra”, afirmou Bernardi.

Fonte: https://jc.ne10.uol.com.br/politica/2021/11/13627381-

Deputada Marisa Lobo, Deputada Federal pelo Paraná.

Deputada Marisa Lobo,

Veja o comentário da Deputada Marisa Lobo, Deputada Federal pelo Paraná, quando Kim Kataguiri e o influenciador Bruno Aiub, conhecido como Monark, caracterizaram  o episódio como “Liberdade de Expressão”. Depois, através de um vídeo, o influenciador Monark se desculpou, mas já foi tarde, porque  foi desligado do Estúdios Flow depois de defender a existência de um partido nazista no Brasil. Em nota divulgada nesta 3ª feira (8.fev.2022), o Flow pediu desculpas pelas falas do influenciador; disse que estava bêbado e não sabia o que dizia.

Agora, o comentário da Deputada:

APOLOGIA AO EXTERMÍNIO DE JUDEUS NÃO É LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Quero deixar registrado o meu REPÚDIO às manifestações feitas pelo deputado federal Kim Kataguiri e o influenciador Monark, que na segunda-feira (07) defenderam que discursos pró-nazismo tenham o mesmo direito à liberdade de expressão como quaisquer outros.

Isto posto, afirmo: apologia ao extermínio do povo judeu e demais povos/pessoas, NÃO É LIBERDADE DE EXPRESSÃO, mas sim um CRIME contra a humanidade.

O nazismo é uma ideologia genocida que atenta contra a vida humana, motivo pelo qual não deve ter qualquer espaço no debate público, salvo o nosso mais veemente repúdio.

Ao dizer que a Alemanha errou ao criminalizar o nazismo, o deputado Kataguiri ERRA GRAVEMENTE, porque confunde debate de ideias com uma visão que prega a MORTE de uma etnia, bem como de pessoas consideradas pelos nazistas “inferiores”.

Não precisamos, em nome da “liberdade de expressão”, tolerar o intolerável. O simples fato de sabermos que o nazismo é um CRIME, bem como a sua apologia, é suficiente para BANIR de uma vez por todas qualquer visão em seu favor.

Sendo assim, deixo aqui a minha solidariedade à comunidade judaica, em meu nome e do PTB do Paraná, e a certeza de que nós, cristãos, herdeiros da inestimável herança judaica de fé e valores, iremos cobrar a responsabilização dos envolvidos nesse lamentável episódio de apologia ao crime.

Marisa Lobo – Presidente do PTB do Paraná.

 

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe um comentário

Pular para a barra de ferramentas