Desacreditada, a Imprensa Brasileira aposta em velório para aumentar audiência

A Imprensa brasileira anda tão desacreditada que tem que noticiar velório para conseguir audiência.

Particularmente, nunca ouvi  falar dessas celebridades que ganharam notoriedade nos últimos dias nos noticiários  e que, infelizmente,  somente depois de morta é que vim saber da existência delas. Se essas celebridades não tivessem morrida, ninguém jamais iria ficar sabendo que elas existiram algum dia.

Tem hora que eu questiono: seria excesso de ignorância minha ou é falta de inteligência dos jornalistas para criarem pautas mais interessante que, na realidade, porque, apelar para velório não faz sentido.

Querem transformar em notoriedade alguém que nunca foi. É forçar demais a barra.
Por falta de pauta mais interessante, a imprensa na ânsia por audiência,  não se importa em dar notoriedade a pessoa que nunca foi celebridade. Dera destaque da gota serena a um tal de  Paulo Gustavo,  quando este faleceu só porque este tinha marido. A Rede Globo de televisão deu mais destaque ao marido do defunto que ao próprio defunto.

Como se não bastasse, agora a imprensa quer lacrar em cima de outro desconhecido que ninguém conhece e nunca ouvira falar: o tal de “Eme Cê Kevin”. Quando em vida, nunca ouvi falar desse tenor que se jogou do prédio.

Mas a imprensa fez um alarde dos diabos sobre esses desconhecidos na tentativa de buscar audiência. E não é pra menos, numa imprensa mentirosa como essa, a única verdade que elas podem apresenta é o defunto, a dor e o sofrimento da família pelo passamento de seus entes queridos.

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas