O Triste Fim de Vitória

Depois de quase oito dias do desaparecimento de Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, da cidade de Araçariguama, interior de São Paulo, a polícia encontrou o corpo da menina.

A menina Vitória, 12 anos, muito bonita, maquiada feito mulher madura. Sozinha sai de casa de shortinho, calça os patins e vai patinar detrás do ginásio. Lugar deserto, silencioso, tranquilo, sem transeunte, sem carro para atrapalhar, ideal para patinar, ideal também para se praticar estupro.

Essa criança é vítima da violência que se alastrou pelo pais, assim como da imbecil cultura de que mulher é igual ao homem. Mulher nunca foi igual ao homem e nunca será. A mulher pode exigir os mesmo direitos dos homens no trabalho, fora daí ela começa a levar desvantagem.

A mulher tem o direito de ir e vir igual ao homem! Tem? Não tem! Se ela fizer isso sozinha é estuprada na primeira esquina! O homem não corre esse risco!

O Brasil mudou, hoje é um país infame onde a justiça e o congresso defende o crime organizado, o estupro, além caracterizar o pedófilo como uma minoria oprimida pela sociedade que merece ser respeitada.

No ano passado uma estudante viajou de São Paulo para Belo Horizonte com um desconhecido que saiu da internet e teve o consentimento do namorado abestalhado para ela realizar a viagem; viajou e morreu. O carona a matou.

No Brasil, independente de idade, ninguém deve sair de casa sozinho. Somente um pai ingênuo, desinformado, que não sabe no que se transformou o Brasil deixa sua filha, ou seu filho, ou sua mulher, ou mesmo sua sogra sair sozinha de casa, porque, em nosso bairro ou na nossa rua sempre existe um vagabundo ou criminoso de plantão à espera de um descuido dos moradores para praticar maldade.

Quem tem suas filhas que as mantém em casa, mesmo assim não está segura por causa do constante rodízio de padrastos.

Triste fim de uma criança que só queria andar de patins, mas, num país que não se deve sair de casa desacompanhado.

A família tem que aprender a dizer “Não” para seus filhos, pois, são os adultos que conhecem o mundo,  sabe o que é certo e o que é errado, portanto,  cabe aos adultos a palavra final e as crianças tem,  por obrigação,  obedecer essas ordens.

O caso Vitória teve um desfecho infeliz. Muito triste, ninguém espera por essa tragédia.

Que a morte dessa criança, ao menos, sirva de lição para os pais,  especialmente as mães separadas  dos maridos que são tão ingênuas quantos as crianças, que ainda acredita na bondade das pessoas.

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas