Entrevista com Zé William

O Sr. José William Vieira, gentilmente,  cedeu uma entrevista à equipe do “BLOG”.

Qual o significado da vida?
Encontrar um motivo pelo qual valha a pena viver e vivê-lo.

O que é a vida?
São todos os fatos que acontecem ao nosso redor no exato momento em que acontecem.

E a morte?
É a ausência do registro destes fatos.

A verdade?
É tudo aquilo que não é dito.

Como assim?
A verdade se encontra no pré-sal das espessas camadas de mentiras acumuladas ao longo dos milênios, pela consciência da humanidade. Por não fazer falta no convívio das pessoas ela deixou de ser pronunciada.

Como identificá-la?
Muita agudeza, sabedoria e olho no olho pode-se identificá-la, senão corre-se o risco de confundir-se e acabar adotando uma nova mentira como verdade.

E a mentira em si?
O que não espelha o comportamento da natureza é falso. A mentira é fácil de identificar, nela nada há de original. A mentira é, na sua essência, tudo aquilo que a sociedade tem produzido e continua a produzir ao longo de sua existência.

O que Deus espera do homem?
O que Deus espera do homem é o mesmo que espera de qualquer animal: manter-se saudável para gerar filhos saudáveis para que estes possam vencer as enfermidades e as intempéries do dia-a-dia e poder dar continuidade ao processo de perpetuação da espécie, atendendo assim, a vontade da Mãe Natureza. Qualquer outro sentido não passa de especulação.

E a felicidade?
A felicidade é o almejo de indivíduo de mente estreita. Normalmente só os tolos e os idiotas são felizes.

A vida é só dor?
Do início ao fim com pequenos clarões de alegria. O sofrimento é ocasionado pelo desconhecimento de si mesmo; pela crença exacerbada e dogmática; pela frustação de não alcançar o excesso de quereres; enclausuramento religioso, ideológico e outros mais.

E a alegria?
Resume-se em momentos. A alegria de receber alta no hospital; último dia no dentista ou quando sobra um trocado para comprar cerveja após quitar as dívidas do mês.

Como viver melhor?
Quando se consegue equilibrar a dor e a alegria a vida torna-se suportável.

Um grande homem?
Todos os abolicionistas que se empenharam de corpo e alma pela causa!

Uma mulher bonita?
A que não envelheceu!

A Mulher?
O complemento.

Nela, o que mais lhe atrai?
Os movimentos; o balanço dos quadris.

O ofício bancário, o que tem a dizer?
Assemelha-se ao de animais em confinamento. É alimentado, toma as injeções recomendadas pelos médicos dos exames periódicos, faz sexo como qualquer animal e repõe as energias nos fins de semana. Um dia se aposenta ou recebe um pé na bunda por ter ficado velho e não servir mais para a empresa. Só então percebe que a vida passou e ele não viu e o imenso vazio cavado na mente, pela expectativa da vida que não veio, o deixa abatido e logo compreende que o tiquinho de tempo que ainda lhe resta, para recuperar um grande erro e ganhar a dignidade, não será suficiente. Daí o sacrifício, normalmente destinado aos animais, se aplicado neste infeliz, talvez seja um gesto de amor.

E a governabilidade do país?
Todos os presidentes sabem que são as empreiteiras quem governam o Brasil.

O que faria se presidente do Brasil fosse?
O que todos fazem: viajar, viajar até conhecer todos os países do planeta, com o dinheiro público, já que o povo não reclama. Este é o sonho de todo ser humano, mas, que só é possível quando a pessoa fica rica ou ocupa cargo relevante assim.

E se reeleito?
Aí, eu entenderia que o povo é besta mesmo, que pretende me entregar o país. Caso isso viesse acontecer eu entraria no processo de apropriar-me da nação como fazem os ditadores, especialmente os comunistas.

Se um grande desejo seu pudesse ser realizado?
Que Deus solavancasse a mente humana para que todos os povos, num piscar de olhos, enxergassem o quão letal a nossa sociedade é.

Quem é você?
Com o registro de infinitas primaveras na minha vida, hoje eu posso afirmar que sou o futuro de mim mesmo, o meu projeto de vida concluído com erros e acertos; muitos erros e poucos acertos.

O que valeu a pena?
O questionamento da minha existência. Se eu tivesse me moldado aos valores da sociedade impostos a mim, como certo, hoje nada questionaria. Não teria desenvolvido a autocrítica, e viveria como a maioria das pessoas: acreditando nas mentiras dos políticos; dos líderes religiosos; iludido com o socialismo; vivendo com Bíblia no sovaco e acreditando nos tais livros sagrados.

A solução para um mundo melhor?
Quem almeja mudar o mundo, primeiro, deve mudar a si. Se criarem escolas que auxiliem nesse processo, melhor ainda. Uma educação séria, também voltada para o autoconhecimento, onde os educadores tenham ciência disto. O ensino que temos com o único fim de formar homem técnico para gerar dinheiro, só tende a agravar os males já existentes no nosso mundo e que não são poucos.

Recomeçar, o que mudaria?
Passei a vida toda querendo mudar o mundo e não consegui mudar a mim mesmo. O homem nada muda, ele é quem sofre mudanças na medida em que supera as dificuldades, feito o leito do rio que é formado conforme os obstáculos vencidos pelo curso d’água.

Religião?
Uma fuga espetacular da verdade. Tão espetacular quanto qualquer outra droga: como a cachaça, a maconha, a cocaína e outras. Os líderes religiosos, com medo das tentações desgarrarem-se o rebanho, acabaram criando uma sociedade alternativa, um mundo individualista, gerando assim espaço gigantesco no nosso meio para os políticos corruptos e empresários inescrupulosos atuarem livremente.

Jesus?
No momento, nunca um nome foi tão banalizado e explorado comercialmente como o nome Jesus. Em todos os botequins, paredes, rádio e televisão encontra-se estampado esse nome. Nem mesmo os Pop Stars como os Beatles, Elvis Presley, Michael Jackson, conseguiram render tanto dividendo quanto o nome Jesus. É hora de uma reflexão sobre este tema, senão encharcaremos o nosso mundo de insanos.

Você acredita em Jesus?
Acredito que um filósofo de nome Jesus possa ter passado por aqui, mas não vejo razão para atribuir-lhe tamanha sacralidade.

E o seu martírio foi em vão?
Não é pelo fato dele ter morrido na cruz que devemos passar o resto da vida rendendo louvor ao sofrimento. Jesus morreu por questão política e econômica. Não acredito que O tenha morrido para salvar alguém ou coisa alguma, pois, não salvou nem a si mesmo. Morreu porque não teve jeito. O martírio, no meu entender, foi em vão. Ele passou por uma grande humilhação. Se Jesus tivesse metido o pé no barranco teria sido sacrificado no Monte das Oliveiras ou mesmo onde foi açoitado, e se poupado de tamanho vexame. Jesus não se declarou inocente e sequer se defendeu das acusações que lhe foram imputadas. Vejo que o excesso de fé O cegou, levando-O a um fim ultrajante.

“Ninguém chega ao pai senão por mim!” O que fazer, já que você não é seu seguidor?
Quem segue os outros só chega onde este outro o levar. Toda e qualquer interferência de outrem é uma barreira para quem deseja alcançar a plenitude. Ou você chega a Deus por si só ou não chega a lugar algum.

Quem é Deus?
Deus é tudo aquilo que se encontra por detrás do intelecto. Só quando a consciência cessa suas atividades e começa a diluir-se, trazendo à tona a essência de si, então começa seu primeiro contato com o universo, com a natureza, com o nirvana, com Deus ou com o nome que queira dar.

E o amor?
É uma dádiva dos Deuses aos homens que não optaram pela indolência. O amor se dá quando você consegue, sem julgamento, enxergar sem paixão e sem a interferência da consciência, tudo aquilo que discorre ao seu redor. O silêncio profundo que acontece no espaço da mente quando entra em contato com Deus, no meu entender, é o verdadeiro Amor.
(Blog)

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas