Espírito se multiplica para atender a demanda

aEu só acredito no espiritismo no dia que um lúcido cultor do espiritismo me vender um carro para pagar quando eu voltar na próxima encarnação ou dividir em prestações para ir pagando na medida em que eu for reencarnado.

Estou falando isso porque Conquista se prepara pra mais uma Semana Espírita e eu já estou providenciando meus dicionários para decifrar as tijoladas dos palavreados; estou comprando roupa de grife famosas para que deixem eu entrar; contratei quatro filósofos e cinco imortais da academia de letra para me ajudar a compreender a incompreensibilidade filosófica do vaivém sem fim da alma… enfim, estou pronto para Sexagésima Terceira Semana Espírita em Vitória da Conquista que começa no dia 03 de setembro/2016. Conquistenses adoram essas coisas do além e enchem o centro de convenções pra ouvir os palestrantes que falam com os mortos.

Enquanto existir Divaldo Franco, existirá o espiritismo no Brasil. Chico Xavier, quando se desencarnou foi um baque danado na religião, se ele protelar o retorno, quando Divaldo Franco se desintegrar, a religião, a doutrina, o mercantilismo, a ciência espírita ou seja lá o que isso for, vai junto. O espírito dos partidários do espiritismo não evoluiu suficiente para entender que já passou da hora de escolher um substituto de Divaldo Franco, porque endeusar somente um único espírita é colocar todos os ovos num só balaio.

No convite que recebi para participar 63ª Semana Espírita em Conquista, tem um texto intitulado de: “ A Grande Transição” de autoria de Divaldo Franco, recebido através da entidade espírita “Joanna de Ângelis”. “O que me chamou atenção foi o início do segundo parágrafo: “Caso se oponham às exigências da evolução, também sofrerão um tipo de expurgo temporário pra regiões primárias entre as RAÇAS ATRASADAS, tendo o ensejo de ser úteis e de sofrer os efeitos danosos da sua rebeldia.”

“Raças Atrasadas”. Quer dizer, mais de uma raça atrasada. Que, para Hitler, raças inferiores. Eu até pensei que essa tal de Joanna de Ângelis fosse alemã e tivesse vivido na Segunda Guerra Mundial. Divaldo Franco é o Senhor das palavras, quando se refere à raça, refere-se a um povo, ele sabe o que faz, sabe o que diz.
Logo em seguida vem: Concomitantemente, espíritos nobres… Quer dizer, raça superiora. Pois é, até mesmo depois de morto o espírito não fica livre dos Hitlers da vida. E religião hitlerista é que não falta na vida. Amém?

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas