Que falta Luiz Gonzaga faz

Gonzagão-2

Luiz Gonzaga cantava o sertão nordestino denunciando as injustiças sociais e mostrando ao mundo a coragem e a capacidade de superação do sertanejo.No São João de hoje os cantores cantam a devassidão urbana. No São João de antigamente as famílias se uniam para preparar a pamonha, o licor, a canjica, a leitoa e o São João começava três, quatro dias antes nesses preparativos, tão importante quanto a noite da fogueira.Hoje, o São João, assim como todos os eventos culturais na Bahia e nordeste, se transformou numa coisa muito vulgar, sem nenhuma proposta, apenas putaria e bebedeira. Essa coisa sem objetividade é o que inspira os compositores das músicas de São João da atualidade.Não tem para onde correr, o povo brasileiro ficou refém da futilidade da televisão, faculdade, internet, redes sociais e todas essas coisas ruins que não acrescentam nada na vida do indivíduo.No clube de recreação, AABB daqui de Conquista, que, por sinal, trabalha para atingir meta cultral exigida pela FENABB, as famílias desse clube se juntam com as crianças para dançar uma das músicas de sucesso no momento: “Bota pra Moer, Senta na Tereza”. É uma pena, são os baianos que não entenderam a mesagem de Luiz Gonzaga, se tivessem entendidoGonzagão esse tipo de música não tocaria nesse clube.

Orgia, birita, droga e todo tipo de safadeza nunca deixou de existir, mas aconteciam em lugar reservado, escondidos das crianças e dos adolescentes. Hoje,o Brasil, não oferece outra coisa além da devassidão.

As famílias que pensam que estão se abafando, pensando ser modernidade, que se trata de uma nova era, se esquecem das crianças em casa.

De uma coisa tenho certeza: nem só de putaria e bebedeira vive o homem. Feliz São João!

Por: Zé William

 

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas