SEGURANÇA FÍSICA CADA DIA MAIS DIFÍCIL

casa_filmagemQuando tenho tempo vou à rua sem nenhum compromisso agendado, vou  para não fazer nada, apenas  observar  o pulsar da  cidade e o comportamento das pessoas. Como não tenho dinheiro para viagens continentais, limito-me à  praça Barão do Rio Branco.  No miolo da cidade observo  o fluxo e refluxo das pessoas. Da última vez,  entre os transeuntes,  percebi  muitos doidos pra cima e pra baixo,  com a bíblia na mão a  usar o nome de Jesus em tudo que dizia; pensei: mais uma vítima da igreja.  Pessoas modestas,  de vida simples,  sem maturidade intelectual  para metabolizar  regras, preceitos, normas religiosas,   as velhas doutrinas cristãs, e acabam perdendo o discernimento do que seja pecado, do que não pecado e acaba adoecendo da cabeça,  e  cai em desgraça espiritual. A estrutura da nossa sociedade se transformou numa máquina de produzir doido e as religiões colaboram nesse processo.  Recentemente, um co-piloto jogou  o avião nos Alpes franceses, e o motivo foi a loucura. Agora, em São Paulo, outro maluco explode o próprio apartamento, colocando em risco todos os moradores do prédio. Conclusão; ninguém faz uma reflexão para saber se é isso que esperamos da sociedade, se é esse o caminho do progresso, o caminho da evolução. A cada dia que passa perdemos a segurança física, o mínimo que poderíamos esperar da organização social, o mínimo que o estado poderia oferece, mas, em circunstância como essa,  tanto  o estado  quando a sociedade nada podem fazer. É isso!

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas