Os altos e baixos do Oscar 2015

Veja quais foram os melhores e piores momentos da cerimônia comandada por Neil Patrick Harris neste domingo (22)

Estatueta de Lego, apresentador de cueca, discurso feminista e muitos números musicais: tudo isto aconteceu no Oscar 2015, que foi entregue neste domingo (22) em Los Angeles.“Birdman” foi o principal ganhador, levando melhor filme, diretor, fotografia e roteiro original.

Como programa de televisão, o prêmio deste ano foi especialmente fraco, mas discursos e momentos espontâneos compensaram – em parte – a péssima apresentação de Neil Patrick Harris, que provavelmente não será chamado para repetir a dose no ano que vem.

Veja os melhores e piores momentos do Oscar 2014:
oscar

PIOR: Praticamente tudo envolvendo Neil Patrick Harris
Como apresentador do Oscar, Harris foi um verdadeiro desastre: o número musical não emplacou; a recriação da cena da cueca de “Birdman” já tinha sido feita antes – e melhor – no Independent Spirit Awards; o comentário sobre o vestido de uma das ganhadoras logo depois de ela ter falado do suicídio do filho não pegou bem; e as piadas foram tão ruins que provocaram silêncios constrangedores. A julgar pelo Oscar, Harris é o tio da piada do pavê.

MELHOR: O discurso de Graham Moore
O ganhador do prêmio de roteiro adaptado por “O Jogo da Imitação” fez o discurso mais emocionante da noite. Moore afirmou ter tentado o suicídio aos 16 anos, por se sentir “diferente”, e falou diretamente com jovens que se sentem da mesma forma. “Continuem estranhos. Continuem diferentes. E quando for a sua vez e você estiver neste palco, por favor, passe a mesma mensagem adiante.”
oscar

MELHOR: O discurso de Patricia Arquette
Ganhadora de atriz coadjuvante por “Boyhood”, a atriz de 46 anos fez um poderoso discurso feminista pedindo igualdade salarial e direitos iguais para todas as mulheres americanas. Foi muito aplaudida plateia – e em particular por Meryl Streep e Jennifer Lopez, que foram filmadas vibrando como nunca, a imagem-símbolo do Oscar 2015.

PIOR: A apresentação de Jennifer Hudson
Streep tinha feito um bom trabalho ao anunciar, com emoção, o tradicional clipe sobre os artistas que morreram no último ano. O clipe passou, a homenagem tinha sido justa e bonita, mas eis que surge Jennifer Hudson para uma apresentação musical ruim e totalmente dispensável. Menos é mais, Oscar.
oscar

MELHOR: A choradeira com a apresentação de “Glory”
Common e John Legend subiram ao palco para mostrar a canção do filme “Selma” e desceram ovacionados. Melhor do que as palmas entusiasmadas foram as lágrimas: Chris Pine, David Oyelowo, Oprah Winfrey e Jessica Chastain se emocionaram super.

PIOR QUE VIROU MELHOR: A apresentação de “Everything Is Awesome”
Quando a dupla Tegan and Sara apareceu no palco para cantar a música do filme “Uma Aventura Lego”, não parecia que a coisa ia dar certo. Aí entrou o Lonely Island e mais um monte de gente vestida de tudo quanto era roupa – de pedreiro a Batman -, numa festa totalmente maluca que culminou na distribuição de estatuetas feitas de Lego no meio da plateia. Foi meio ruim? Foi. Mas pelo menos deu uma alegrada.
oscar

PIOR: A orquestra tentando acabar com os discursos dos ganhadores
Se no ano passado a Academia acertou ao utilizar pouco o incômodo recurso de botar a orquestra para tocar e forçar os artistas a sair do palco, neste ano esqueceu o bom gosto e mandou ver na música alta. Dana Perry, uma das diretoras do curta de documentário “Crisis Hotline: Veterans Press 1”, falava sobre o suicídio do filho quando foi cortada pela orquestra. Se o problema é tempo, eis a solução: menos apresentações musicais.

MELHOR: Os ganhadores resistindo à pressão da orquestra
O diretor de “Ida”, Pawel Pawlikowski, foi um dos destaques da noite ao resistir por duas vezes às tentativas da orquestra de fazê-lo encerrar o discurso. O cineasta continuou falando, só saiu do palco quando quis e inspirou outros ganhadores a fazer o mesmo e mostrar o que acontece quando se ignora a deselegante música da Academia: nada.
Fonte: http://on.ig.com.br/imagem/2015-02-23/os-altos-e-baixos-do-oscar-2015.html

About José William Vieira

View all Posts

Brasileiro da Bahia que gosta de escrever. Escritor/Jornalista que gosta de abordar o cotidiano do seu ângulo de visão.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas